C   redit
Sentia-se como se faltasse partes de si, havia um vazio, mas não sabia exatamente o quê. Sendo assim, ela já não era a mesma. Nem comigo. Eu sempre soube que ela era diferente, não gostava de coisas incompletas, isso vai de casos banais, às pessoas. E eu odiava ama-la assim, o-d-i-a-v-a sem tirar ou acrescentar nenhuma palavra. Por que só me restava esperar que ela retribuísse esse amor. Ela ver tudo de modo diferente, sempre tenta fazer o que acha certo. Ela realmente é justa, isso me engloba no assunto. Somos dois problemas sem nenhuma formula para sermos solucionados. Mas, cara, ela tem uma chave do meu quarto, embora eu nunca o tranque de chave. Mas, isso conta não conta? É importante que sua garota – minha garota – compartilhe os meus pertences. Ela também tem a chave do meu coração. Isso ela não sabe, não acredita ou não quer possuir. Nunca soube dizer o quanto a amava sempre me sair melhor nos papéis. Estou me empenhando para que ela perceba que sou completo, alguns defeitos é claro, mas nada comparado a vontade de fechar o quarto e passar o resto dos meus dias com ela.
Back at her, stupid.  
- Não senta assim.
- Por quê?
- Júnior acabou de levantar só de ver suas nádegas.
- Júnior que brincar?
- Júnior quer brincar toda hora com você.
- To cansada hoje.
- Esse filme é chato.
- Mas eu gosto.
- Amor?
- Diga.
- Vamos deitar.
- Deita aqui comigo.
- Não, quero ir pra sua cama.
- Deixa terminar o filme.
- Vou te esperar lá.
- Tá.
- Já acabou?
- Não, filme chato.
- Eu disse.
- Por que ta tirando minha roupa?
- É que ta calor.
- Só em você.
- Tira minha roupa então.
- Só se você for me chupar.
- Adoro quando você fala assim – chupar.
- Me chupa.
- Não fala toda hora que perde a graça.
- Aí.
- O que foi?
- Você chupa meu peito com tanta vontade que daqui a pouco meu coração vai ta na sua boca.
- Palhaça.
- Gosto quando você dá essa risada.
- Você é gamada em mim.
- Porque você é louco por mim.
- To louco por outra coisa agora.
- Não.
- Não por quê?
- To exausta, já disse.
- Mas quem falou…
- Cala a boca e continua onde você parou.
- Aí.
- O que foi agora?
- Parece que é a vez do meu útero sair pela vagina.
- Você só sabe reclamar?
- To reclamando?
- Tá.
- Não to, é a maneira de dizer que você chupa bem.
- Seus gemidos dizem por si.
- Continue.
- Agora é sua vez.
- Aí.
- Que foi?
- Você chupa tão mal que sinto que vou brochar.
- Sério?
- Sério.
- Você adora me desafiar.
- Porque assim você me excita mais.
- Minha boca no seu pênis…
- Não pare.
- Aí.
- Diga.
- Acho que vou gozar.
- Menos de um minuto.
- Viu como é bom provocar você.
- Você é fraco.
- E você é gostosa.
- E sua.
- Todo mundo sabe.
- Diga que você é meu.
- Com mentira?
- Esqueça.
- Posso?
- Não.
- Deixa. Te faço relaxar com o meu amor.
- Não.
- Ta me negando beijo.
- Não.
- Me beija então.
- Não.
- Só vai dizer não?
- Não.
- Vou embora.
- Vá.
- Como responde né.
- Né!
- Vou pra sempre.
- Não.
- Mas você ta cansada de mim.
- Não.
- Diga mais um não e eu subo em cima de você.
- Não.
- Aí.
- Machucou?
- Não.
- Posso ir mais forte?
- Não.
- Desculpa.
- Vai mais rápido.
- Se for assim, terei que ir forte.
- Não.
- Aí.
- Ta sentindo por mim?
- Não, é que seu silêncio é uma ofensa. Machuca, amor.
- Mas eu tava gemendo.
- Gostou?
- Relaxei.
- Mas gostou?
- O que importa é que to melhor.
- Diga se gostou.
- Ah, vai tomar banho.
- Só se você vier comigo.
- Diga a palavrinha mágica.
- Por favor.
- Não.
- Por favor, meu amor.
- Não.
- Minha paixão, vamos comigo tomar um bainho delicioso com o amor da sua vida?
- Não.
- Eu sou seu.
- Demorou demais pra acertar.
- Não fica chata agora.
- Homens falam tudo quando querem transar.
- Sou a exceção do mundo.
- Vou tomar banho.
- Também vou.
- Só divido meu box com quem me pertence.
- Só divide comigo, por isso continuo sendo seu.
- Verdade?
- Sem mentira.
- Prove.
- Só transo com você. E é você é a dona do meu pênis.
- Isso porque ninguém te quer.
- Cê acha?
- Não.
- Então para de bobagem, sou só seu e você me quer.
- Quem disse?
- Seus olhos.
- Entende ele desde quando?
- Desde que te conheci.
- Mentiroso.
- Meus olhos já pediram tantas coisas de você, e você não soube entender.
- Mas sei pelos seus olhos que ta louca pra entrar no banheiro comigo.
- Só entro quando você for meu.
- Mas eu sou.
- Não sinto isso.
- Me põe no chão.
- Não. Vou te provar o quanto sou seu.
- Para.
- Não me morda.
- Então me coloca no chão.
- Vai entrar no banheiro comigo?
- Vou pensar.
- Vem.
- Quero te dar banho.
- Então vem que também quero te dar banho.
- Diz que é meu e vem me pega de novo no colo.
- Não.
- Então tome banho sozinho.
- Ah!
- Idiota.
- Seu idiota.
- Não gosto de idiotas.
- Sou a exceção. Seu idiota para sempre.
- Não seja meloso.
- Seu idiota até o infinito.
- Ta brega.
- Seu idiota, que te odeia com toda a força do amor que sente por você.
- Cafona.
- Porra, achei que ficou legal essa. Enfim, você é minha idiota e eu sou o seu, porque também não gosto de idiotas.
- Pra sempre.
- Para sempre não é meloso e clichê?
- Só quando você fala.
- Para sempre então. Gosto do meu lado romântico quando to com você.
- Pra sempre então!
- Pra sempre?
- Até depois.
- Promete?
- Sem promessas, estarei aqui do mesmo jeito. Odeio juramentos, porque você nunca se lembra de cumprir. To exausta demais.
- Vem cá.
- Quero relaxar no banheiro também.
- Faço o que você quiser.
- Diga que me ama agora.
- Porra, você é complicada.
- O que foi?
- Você…
- Diga logo que me ama, é isso que você quer dizer.
- Eu te amo, só queria dizer isso hoje.
- Eu te amo, só queria dizer isso sempre.
Back at her, stupid.
Você viu partes de mim, que faria qualquer um fugir. E o que me assusta, é que você ainda ficou. Mesmo sabendo que meus sentimentos são prematuros, que eu não sei amar. Mesmo sabendo que corremos riscos do tudo ou nada. E isso ta acontecendo de novo, digo, meu coração ta começando a gostar da sua companhia. Isso não é bom, porque há cicatrizes incuráveis dentro de mim. E eu tenho medo, mas você é o que deixa meu mundo melhor. E eu consigo ser melhor quando estou com você.
Back at her, stupid. 
Eu vou fingir que não gosto de você. Assim você não vai embora.
Back at her, stupid.
Você disse “adeus” quando deveria ter dito “até amanhã.”
Não é justo que as outras pessoas convivam comigo, se acostumem com essa bagunça. Todos os dias mexam na mesma ferida sem saber, gritem para me ver melhor. Mas não as culpo, não é fácil conviver com alguém estupidamente incompleta e vazia.
Back at her, stupid.  
Ela era esperta demais para ficar infeliz por muito tempo.
Back at her, stupid. 
Que falta faz o seu amor.
Que falta faz você, amor.
Back at her, stupid.  
Eu queria guardar todos os seus sorrisos no bolso, para a cada dia alegrar a minha vida quando você não estiver por perto.
Back at her, stupid. 
Ela é aquele tipo de pessoa irritante que diz “tanto faz” pra tudo, quase não reagi as coisas. Não consegue esconder, diz mesmo, doa em que doer e o pior, dói em mim.
Back at her, stupid.